Córnea

DOENÇAS DA CÓRNEA

 

Ceratocone
O Ceratocone é uma condição em que ocorre um afinamento progressivo da córnea acompanhado de aumento da sua curvatura. A área central da córnea fica mais fina e a pressão interna do olho, atuando sobre esta área de menor resistência, faz com que ela fique excessivamente curva, adquirindo a forma de cone.
 
 
Descrição: http://rodrigosalustiano.portalquest.com.br/images/especialidades/norma-ceratocone.jpg
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O ceratocone geralmente surge na adolescência, podendo manter-se estável ou progredir, sendo capaz de comprometer severamente a visão, mas raramente leva a cegueira.
 
Quais as Causas do Ceratocone?
Apesar de desconhecidas, algumas hipóteses são consideradas. Uma delas propõe que o ceratocone surge em decorrência de fatores genéticos.
Dentre outras possibilidades consideradas, o ceratocone pode ser uma condição degenerativa, ou uma condição secundária a outras doenças, como a síndrome de Down e alergias. Alguns estudos apontam que a exposição à radiação ultravioleta poderia estar ligada ao aparecimento do ceratocone.
 
Como é Feito o Diagnóstico?
O oftalmologista faz o diagnóstico do ceratocone pelo histórico do paciente e exames complementares da córnea. Para o paciente, a primeira indicação da doença é a piora da visão, a qual pode apresentar-se borrada, com as imagens distorcidas.
Alguns exames que auxiliam no diagnóstico são:
 
  • Exame de Refração: avalia o quanto a pessoa enxerga (analisa quanto o paciente é capaz de distinguir o contorno e a forma das coisas).
  • Lâmpada de Fenda: avalia as estruturas oculares anteriores (córnea, câmara anterior, cristalino e vítreo anterior).
  • Topografia: determina a curvatura corneana, além mapear a superfície da córnea e suas irregularidades.
  • Paquimetria: avalia, respectivamente, a curvatura e a espessura das córnea.
  • Aberrometria: avalia erros refrativos da visão (miopia, hipermetropia e astigmatismo) e as “aberrações ópticas”, que são variações na visão de cada pessoa.
Procedimentos Cirúrgicos
 
O ceratocone não tem cura, os tratamentos existentes estão destinados a conter a progressão da doença. Contudo, se tratado de forma adequada, uma boa acuidade visual pode ser restabelecida, de forma compatível com as necessidades das tarefas diárias.
O tratamento para o ceratocone depende da gravidade e rapidez com que a condição está progredindo. Se você tem ceratocone, as possíveis opções incluem:
 
  • Óculos: quando se trata de um ceratocone em fase inicial e não afeta a qualidade de vida do paciente.
  • Lentes de contato: indicadas quando os óculos não são suficientes. Devem ser semi-rígidas ou rígidas, dependendo do estágio da doença. Essas lentes aplanam a córnea e devolvem (até certo ponto) à sua posição correta.
  • Lentes de contato esclerais: são lentes que se apoiam principalmente na esclera (parte branca do olho). Elas propiciam maior conforto e garantem uma boa acuidade visual, sem precisar recorrer a procedimentos mais invasivos.
  • Anel intracorneal: Trata-se de um anel de acrílico implantado na córnea com o objetivo de alterar sua forma, melhorando sua qualidade óptica e a visão obtida com óculos ou lentes de contato. O procedimento, que pode ser realizado sob anestesia local, é rápido e seguro e pode ser realizado por laser.
Descrição: http://rodrigosalustiano.portalquest.com.br/images/especialidades/imagem2.jpg
 
  • Crosslinking: Neste procedimento, a córnea é embebida numa substância chamada riboflavina e a seguir exposta por um determinado tempo a radiação ultravioleta. A riboflavina torna a córnea mais sensível à radiação ultravioleta.  O objetivo do crosslinking é impedir a progressão do ceratocone. Os estudos mostram que este resultado é obtido em mais de 90% dos pacientes submetidos a este procedimento.
Descrição: http://rodrigosalustiano.portalquest.com.br/images/especialidades/crosslink.png
 
  • Transplante de córnea: É realizado nos portadores de ceratocone severo ou avançado, que não toleram lente de contato ou nos quais já não é possível sua adaptação. É a opção mais delicada, caracterizada pela remoção total ou parcial da córnea danificada que em seguida é substituída por um tecido de córnea saudável e transparente, proveniente de um doador que morreu.​ Este transplante apresenta grande índice de sucesso, sobretudo após o surgimento dos transplantes lamelares guiados pelo laser.  Apresenta baixa taxa de rejeição.
Descrição: http://rodrigosalustiano.portalquest.com.br/images/especialidades/transplante.jpg
 
Conclusão
O Ceratocone é uma doença cujas causas ainda não são totalmente conhecidas. Diversas opções de tratamento estão disponíveis. A avaliação e o acompanhamento oftalmológico são necessários para que o médico possa orientar a conduta e o tratamento adequados, com o objetivo de manter a melhor qualidade de visão para o paciente.
 
 
Doenças Endoteliais da Córnea
 
O que é o Endotélio Corneano?
Endotélio corneano é a camada mais interna da córnea. A função normal destas células é bombear água pra fora da córnea. Quando elas deixam de funcionar normalmente, ocorre inchaço da córnea. O inchaço faz com que a córnea perca a sua transparência normal, e o resultado é uma visão turva.
 
 
Sintomas de Edema na Córnea (Inchaço na Córnea)
Portadores dessa doença podem manifestar, inicialmente, visão turva ao acordar, que vai gradualmente tornando-se mais clara durante o dia. O paciente também pode apresentar dor nos olhos, sensibilidade à luz, halos ao redor da fonte de luz e perda de transparência da córnea.
 
Quando Realizar o Transplante Endotelial?
Inicialmente, a aplicação de colírios e pomadas pode aliviar os sintomas, e o uso de lentes de contato gelatinosas pode amenizar a dor, porém a única solução permanente para esta doença é o transplante lamelar de córnea (transplante endotelial).
 
Quais os Problemas que Podem Alterar a Função do Endotélio Corneano?
Basicamente existem três causas de doenças do endotélio.
A primeira delas são disfunções endoteliais congênitas (desde o nascimento).
A segunda seria a distrofia endotelial de Fuchs, de caráter genético, na qual ocorre uma degeneração progressiva das células endoteliais. Esta patologia costuma ser bilateral e acomete mais indivíduos do sexo feminino do que do sexo masculino. Normalmente os primeiros sinais desta doença surgem ao redor dos 30 a 40 anos de idade.
A última das formas de disfunção é a ceratopatia bolhosa, causada por trauma, podendo este ser trauma convencional, como uma perfuração ocular, ou trauma causado por cirurgia com necessidade de grande manipulação intraocular.
 
Tratamento e Procedimentos Cirúrgicos
Inicialmente, a aplicação de colírios e pomadas pode aliviar os sintomas, porém essas terapias tem eficácia limitada, e não são úteis em casos avançados.
O transplante endotelial (Transplante de células) é uma mudança revolucionária no tratamento dos distúrbios endoteliais. O objetivo principal da nova técnica é evitar a remoção total da córnea, trocando apenas a parte interna que está comprometida.
 
Vantagens e Resultado
Essa cirurgia é realizada sob sedação leve e anestesia local. Apresenta como vantagens o baixo índice de rejeição e rápida recuperação visual, diferente do transplante convencional que tem maior risco de rejeição e recuperação visual lenta.
 
 
Compartilhe:

Residência Médica pela Sociedade Beneficente Santa Casa de Misericórdia-CG, Subespecilialização em Córnea e Superfície Ocular pela Fundação Banco de Olhos de Goiás.
Observership no Departamento de Córnea e Cirurgia Refrativa da Universidade da Califórnia-USCF San Francisco.
Doutorado e Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Goiás.
Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da PUC-Goiás. Membro Diretor da Sociedade Brasileira de Ceratocone.

Comentários