Doenças Endoteliais da Córnea

O que é o endotélio corneano?
Endotélio corneano é a camada mais interna da córnea. A função normal destas células é bombear água pra fora da córnea. Quando elas deixam de funcionar normalmente, ocorre inchaço da córnea. O inchaço faz com que a córnea perca a sua transparência normal, e o resultado é uma visão turva.
 
Sintomas de edema na córnea (inchaço na córnea)
Portadores dessa doença podem manifestar, inicialmente, visão turva ao acordar, que vai gradualmente tornando-se mais clara durante o dia. O paciente também pode apresentar dor nos olhos, sensibilidade à luz, halos ao redor da fonte de luz e perda de transparência da córnea.
 
Quando realizar o transplante endotelial?
Inicialmente, a aplicação de colírios e pomadas pode aliviar os sintomas, e o uso de lentes de contato gelatinosas pode amenizar a dor, porém a única solução permanente para esta doença é o transplante lamelar de córnea (transplante endotelial).
 
Quais os problemas que podem alterar a função do endotélio corneano?
Basicamente existem três causas de doenças do endotélio.
A primeira delas são disfunções endoteliais congênitas (desde o nascimento).
A segunda seria a distrofia endotelial de Fuchs, de caráter genético, na qual ocorre uma degeneração progressiva das células endoteliais. Esta patologia costuma ser bilateral e acomete mais indivíduos do sexo feminino do que do sexo masculino. Normalmente os primeiros sinais desta doença surgem ao redor dos 30 a 40 anos de idade.
A última das formas de disfunção é a ceratopatia bolhosa, causada por trauma, podendo este ser trauma convencional, como uma perfuração ocular, ou trauma causado por cirurgia com necessidade de grande manipulação intraocular.
 
Tratamento e procedimentos cirúrgicos
Inicialmente, a aplicação de colírios e pomadas pode aliviar os sintomas, porém essas terapias tem eficácia limitada, e não são úteis em casos avançados.
O transplante endotelial (Transplante de células) é uma mudança revolucionária no tratamento dos distúrbios endoteliais. O objetivo principal da nova técnica é evitar a remoção total da córnea, trocando apenas a parte interna que está comprometida.
 
Vantagens e resultado
Essa cirurgia é realizada sob sedação leve e anestesia local. Apresenta como vantagens o baixo índice de rejeição e rápida recuperação visual, diferente do transplante convencional que tem maior risco de rejeição e recuperação visual lenta.
Compartilhe:

Residência Médica pela Sociedade Beneficente Santa Casa de Misericórdia-CG, Subespecilialização em Córnea e Superfície Ocular pela Fundação Banco de Olhos de Goiás.
Observership no Departamento de Córnea e Cirurgia Refrativa da Universidade da Califórnia-USCF San Francisco.
Doutorado e Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Goiás.
Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da PUC-Goiás. Membro Diretor da Sociedade Brasileira de Ceratocone.

Comentários