Glaucoma

O glaucoma é um grupo de distúrbios oculares que conduzem a danos progressivos no nervo óptico, e é caracterizado por perda de tecido dos nervos, resultando em perda de visão. O nervo óptico é composto por cerca de um milhão de fibras nervosas que transmitem os sinais visuais do olho para o cérebro.
A forma mais comum de glaucoma está associada a um aumento na pressão de fluido no interior do olho, podendo resultar na perda de visão. Porém, nem todos com alta pressão ocular irão desenvolver glaucoma, e muitas pessoas com pressão normal do olho podem desenvolver glaucoma.
 
Como é diagnosticado glaucoma?
Para diagnosticar o glaucoma, um oftalmologista irá testar a sua visão e examinar seus olhos. O exame do olho incide sobre o nervo óptico, que tem um aspecto especial no glaucoma. O médico irá ainda realizar um procedimento chamado tonometria para verificar a pressão ocular, e um teste de campo visual, se necessário, para determinar se há perda da visão lateral.
Testes de glaucoma são indolores e tomam pouco tempo.
 
Quais são os sintomas do glaucoma?
Para a maioria das pessoas, geralmente há poucos ou nenhum sintoma de glaucoma. O primeiro sinal de glaucoma é frequentemente a perda da visão periférica ou lateral, que pode passar despercebido até ser diagnosticado. É por isso que o glaucoma é frequentemente chamado de "ladrão da visão."
Detectar o glaucoma precoce é uma das razões pelas quais o paciente deve procurar um oftalmologista a cada um ou dois anos.
 
Se você tiver qualquer um dos seguintes sintomas, procurar assistência médica imediata:
 
  • Ver halos ao redor das luzes
  • A perda de visão
  • Vermelhidão nos olhos
  • Náuseas ou vômitos
  • Dor no olho
  • Estreitamento da visão (visão de túnel)
Grupos e Fatores de Risco
O glaucoma ocorre com maior frequência em pessoas com mais de 40 anos de idade, embora uma forma congênita ou infantil de glaucoma exista. Pessoas com histórico familiar de glaucoma, afro-americanos com idade acima de 40, e os hispânicos com idade superior a 60, têm um risco aumentado de desenvolver glaucoma.
Outros fatores de risco incluem córneas mais finas, inflamação crônica dos olhos e uso de medicamentos que aumentam a pressão nos olhos. O diabetes pode aumentar o risco de desenvolver glaucoma, assim como a pressão arterial e doenças do coração.
Traumas no olho podem resultar em aumento da pressão ocular e futuros aumentos na pressão devido a danos internos.
 
Tipos de Glaucoma
Glaucoma de ângulo aberto primário, tipo mais comum, desenvolve-se de forma lenta e normalmente sem quaisquer sintomas. Muitas pessoas não se conscientizam de que têm a patologia até que ocorra a perda significativa da visão. Ele inicialmente afeta a visão periférica ou lateral, mas pode avançar para a perda da visão central. Se deixado sem tratamento, o glaucoma pode conduzir a perda significativa de visão em ambos os olhos, e pode conduzir à cegueira.
Glaucoma de ângulo fechado agudo, tipo menos comum de glaucoma, ocorre geralmente de forma abrupta, devido a um rápido aumento de pressão no olho. Seus sintomas podem incluir dor ocular, náuseas, vermelhidão nos olhos, visão com anéis coloridos ao redor de luzes e visão turva. Esta condição é uma emergência ocular, e o médico deve ser procurado imediatamente, pois a perda de visão severa pode ocorrer rapidamente.
 
Prevenção
Atualmente, o glaucoma não pode ser prevenido, mas se diagnosticado e tratado precocemente, pode geralmente ser controlado. O uso de medicação ou cirurgia pode retardar ou evitar a perda de visão. No entanto, a visão já perdida em função do glaucoma não pode ser restaurada.
 
O que provoca o glaucoma?
Existem muitos tipos de glaucoma e muitas teorias sobre as suas causas, porém uma causa exata é desconhecida. A doença está geralmente associada ao aumento da pressão do fluido no interior do olho, porém outras teorias incluem a falta de fornecimento de sangue adequado ao nervo.
 
Tratamento
O tratamento do glaucoma pode ser realizado com a prescrição de colírios, cirurgia a laser, ou microcirurgia.
 
O colírio pode reduzir a formação de fluido na parte da frente do olho ou aumentar a sua saída. Os efeitos colaterais podem incluir alergia, vermelhidão dos olhos, ardência breve, visão turva e os olhos irritados. Algumas componentes do colírio podem afetar o coração e os pulmões. Certifique-se de informar o seu médico sobre quaisquer outros medicamentos que você está tomando atualmente ou é alérgico.
A cirurgia a laser aumenta ligeiramente a saída do líquido do olho com glaucoma de ângulo aberto ou elimina o bloqueio do fluido no glaucoma de ângulo fechado.
 
Tipos de cirurgia a laser
Trabeculoplastia - o laser é usado para abrir a área de drenagem da rede trabecular;
Iridotomia - um pequeno orifício é feito na íris, permitindo que o fluido saia livremente;
Ciclofotocoagulação - um feixe de laser trata áreas da camada média do olho, reduzindo a produção de fluido.
 
Microcirurgia é uma operação chamada trabeculectomia, com a qual um novo canal é criado para drenar o fluido, reduzindo assim a pressão intra-ocular que provoca o glaucoma.
 
Quais são as perspectivas para pessoas com glaucoma?
Neste momento, a perda de visão é causada por glaucoma irreversível e não pode ser restaurado. No entanto, a redução da pressão ocular com sucesso pode ajudar a evitar mais perda visual do glaucoma. A maioria das pessoas com glaucoma não ficarão cegas se seguirem seu plano de tratamento e realizar exames oftalmológicos regulares.
Compartilhe:

Residência Médica pela Sociedade Beneficente Santa Casa de Misericórdia-CG, Subespecilialização em Córnea e Superfície Ocular pela Fundação Banco de Olhos de Goiás.
Observership no Departamento de Córnea e Cirurgia Refrativa da Universidade da Califórnia-USCF San Francisco.
Doutorado e Pós-Doutorado pela Universidade Federal de Goiás.
Professor Adjunto da Faculdade de Medicina da PUC-Goiás. Membro Diretor da Sociedade Brasileira de Ceratocone.

Comentários